quarta-feira, 12 de abril de 2017

[LDMForever-10anosdepois] DMD Refeita

Eu tinha uma ideia muito comum do que é ser cool. Quando mais novo, acreditava que personagens legais seriam aqueles que lidariam com coisas mais próximas da realidade, tivessem carga o suficiente para despejar horas de exposição a fio, e, obviamente, tinham de ser os mais pancada possível.
Não sei exatamente qual dos pontos acima está simplesmente cumprindo uma cota para minha memória falha, mas, eu lembro, com toda a certeza, que o time DMD era para ser o time cool. Composto pelo trio mais velho de personagens (ou, ao menos, liderado pelo mais velho), o time era para ser o grande escalão, o pessoal com problemas mais sérios, o Team Dark, assim digamos.

Ao revisitar os textos de outrora, tanto para escrever esta postagem, quanto para traçar as novas imagens que o projeto requer, percebi logo de cara o inevitável: o time DMD era o mais chato de todos os times. Seus personagens tinham uma origem ridiculamente mal explicada, e não convenciam a ninguém.
Não só isso, o grupo também tinha um caso seríssimo do Princípio de Smurfette, sendo pior do que você imagina, visto que a única integrante feminina do time (e uma das duas únicas integrantes femininas da história inteira) era absoluta e inegavelmente inútil, sendo completamente esquecida à medida em que os episódios foram passando (até parecia que ela estava só cumprindo uma cota ou algo assim).

Obviamente, não me sinto nada orgulhoso de lembrar disso, mas, creio que vejo a razão pela qual tudo aconteceu dessa forma... Seja como for, não é para isso que fizemos esta postagem.
Meu objetivo aqui é reapresentar Dark, Mathks e Dhorothy em novo traço, dar um pouco mais de fundo a eles e, principalmente, fazer uma pequena ligação com o que virá no futuro.





Iniciemos pelo mais complicado.
Dark foi introduzido ao mundo como uma "criatura de olhos brancos e manchas vermelhas", proclamado chefe de polícia, e ainda sofrendo de amnésia.
A ideia da "criatura estranha" foi algo que me livrei com relativo prazer. Para seu redesign, acreditei que seria muito mais crível (e interessante) que a tal forma alternativa fosse substituída por um traje especial, talvez uma armadura. Dessa forma, seria possível deixar que ele mantivesse algumas das características visuais mais marcantes de sua forma especial, como as garras.
Não foi necessariamente difícil escolher como ele ficaria visualmente, também graças às cores do personagem, que pude visualizar como úteis à carreira de policial / agente secreto que ele parecia ter, devido à sua natureza mais escura.
Referenciando toda uma história por trás dele, adicionei também uma capa e, finalmente, seu rosto está mais para o que se espera de um personagem de sua idade e calibre (consideravelmente superior ao cabelo arrepiado de outrora).


Assim como Matt Hart, Mathks não foi uma criação minha. Na verdade, ele foi criado também por meu irmão, na tentativa de fazer um personagem muito mais cool e fantástico do que Matt Hart era. O curioso é que, após o final de LDM Forever, Mathks foi um dos personagens que eu menos mexi. Mesmo assim, logo ao bater de cara com ele, já tive uma ideia de como melhorá-lo visualmente.
O visual de um detetive estereotipado veio de uma ideia já antiga, de Mathks ser um tipo de detetive que trabalha em conjunto à Polícia X. Nada de muito extravagante em seu visual, já que o personagem simplesmente não quer chamar atenção, ele é apenas um cara tentando fazer seu trabalho.
Observaremos isso mais a fundo na postagem #3 do projeto...






Isso pode ser surpresa para alguns, mas, Dhorothy Fang está dentre as primeiras personagens criadas para LDM Forever. Na verdade, ela foi feita um pouco depois de David Hart, lembro que até era para uma história em que todos os personagens principais deveriam ter seus nomes começando com a letra D. Bons tempos...
Curiosamente, Dhorothy é uma personagem com a qual eu gosto de experimentar ideias de design, quando a ideia não cabe a um personagem masculino (que é o caso do David). Isso significa que não tive dificuldades em criar o desenho dela. Na verdade, ela foi a segunda personagem a ser atualizada para este projeto. O conceito é simples e, se você acompanha este blog há muito tempo, deve ter notado algumas familiaridades com o que fiz no passado. Se você notou, guarde isso: será importante!

E, assim como fiz com a LDM Refeita, eu gostaria de adicionar um pequeno bônus, na forma de uma recriação de cena.

A introdução do time DMD em LDM Forever me deu muitos sinais negativos quando a li novamente, e, honestamente, eu adoraria reescrevê-la apropriadamente. Vejamos como ficaria, usando essa imagem como base:



A notícia do desaparecimento fora dada há exatas duas semanas. Dark Detros e Mathks Mauro Jr. haviam saído em missão de reconhecimento quando sua transmissão fora cortada inesperadamente. A Polícia iniciou uma investigação imediatamente em busca de seu chefe e seu assistente, mas, não foi fértil o suficiente para produzir frutos.  
Ao ouvir falar do acontecido, a ainda inexperiente recruta Dhorothy Fang se candidatou a conduzir uma busca paralela, na esperança de encontrar pistas que pudessem levá-los ao paradeiro do chefe desaparecido. Interessados no entusiasmo da jovem, mais ainda considerando que não tinham muito a perder, os figurões da Polícia decidiram permitir que ela fizesse sua busca, desde que não atrapalhasse quaisquer outras condutas.

Armada apenas com um bastão e seu distintivo, Dhorothy começou a refazer os passos de seus superiores. Sua busca a conduziu a um armazém abandonado nos arredores da cidade. 
Após esperar o anoitecer, a recruta entrou no prédio, e, lenta, mas, seguramente, começou a investigar. O lugar pareceria abandonado aos olhos de leigos, cada centímetro seu coberto por poeira e teias de aranha. No entanto, Dhorothy percebeu que havia algo mais ali. 

Seguindo sua intuição, a jovem policial percorreu os corredores escuros e sujos, não ouvindo nada mais do que o som de seus próprios passos e respiração. À medida em que ela adentrava, os corredores ficavam mais escuros, o ar esquentava, e, por vezes, ela podia jurar que não estava sozinha.
Com cautela, ela chegou até o coração da base, uma sala relativamente grande, vazia, se não fosse uma grande jaula ao centro.
O interior da jaula era escuro, mais até do que do lado de fora. Dhorothy hesitou por um instante. Seus ouvidos haviam captado um som fraco, grave, quase, como algo pesado sendo empurrado por uma barra de metal. 

A passos vacilantes, ela se aproximou da jaula, e foi então que ela notou um pequeno reflexo da luz de sua lanterna, vindo de dentro. Com suas mãos trêmulas, ela aproximou-se da porta da jaula que, para sua surpresa e temor, estava aberta. Abrindo-a, Dhorothy passou pelas barras de ferro, e observou com cuidado o que tinha para ser encontrado ali. 

A luz de sua lanterna captou uma silhueta no escuro, cujas formas Dhorothy logo conseguiu reconhecer. Sentado na jaula, talvez bastante ferido, estava o chefe Dark Detros, sua armadura ainda posta, mas notavelmente danificada. Ele, Dhorothy observou, estava praticamente imóvel, mas, ainda era possível distinguir o movimento respiratório do tórax.

Dhorothy se aproximou mais um pouco, na esperança de pegar seu chefe, mas, foi então que ela notou algo novo. Um som quase surdo, agudo, como uma trava sendo desarmada. 

Tão rápido quanto o que ouviu, Dhorothy virou-se repentinamente e, puxando o bastão que trazia consigo, acertou em cheio a mão de um atacante desconhecido, fazendo-o soltar a pistola que ele havia acabado de destravar. 
Um combate breve ocorreu, no qual Dhorothy foi forçada a soltar sua lanterna para que pudesse se defender dos ataques que estava sofrendo. 
A lanterna rolou sobre o chão, até que encontrou um ponto fixo. A luz brilhou em cheio no rosto do atacante, que ficou paralisado por um instante, cobrindo os olhos. Com um golpe certeiro, a recruta derrubou-o e imobilizou-o. 

Dhorothy reconheceu o atacante como Mathks Mauro Jr., assistente de Dark Detros. Mas, havia algo de errado nele. Antes que ela pudesse chegar a conclusões, a recruta percebeu que a luz de sua lanterna havia sido coberta por algo. Ao levantar o olhar, Dhorothy viu Dark Detros, erguido em sua frente, com a pistola de Mathks em mãos. 
Ela viu, com surpresa e horror, Dark disparar contra seu assistente. Apenas uma bala foi necessária, e Mathks já não se movia mais. 

"Você está bem?", disse Dark para Dhorothy, que não demorou em soltar Mathks e se erguer diante de seu superior. "Acha que consegue carregá-lo para fora daqui?"

"S-sim, senhor!", Dhorothy assentiu, abaixando-se para levantar Mathks por um dos braços e carregá-lo consigo. 

"Desculpe a surpresa...", disse Dark, sua voz por trás do capacete mais serena, embora um pouco rouca, "Ele deve voltar ao normal dentro de alguns dias, mas, precisaremos deixá-lo trancado até lá...".


Vou parar por aqui, antes que eu decida refazer a história inteira.

Reescrito ou não, creio que o DMD era o time que mais precisava de melhores detalhes e melhor caracterização, mais especificamente, na personagem da Dhorothy Fang que, como eu disse anteriormente, fica completamente de lado à medida em que os episódios vão rolando. Se não me engano, ela até aparecia na batalha final, mas, era mais para uma menção do que qualquer outra coisa. Acredito que tentei compensar por isso nesse longo trecho que adicionei aqui.

Se você acreditava que a personagem deveria ter sido melhor explorada, e me acha um monstro por não ter feito isso, eu não só concordo com você, como também peço para que você fique atento à próxima postagem do projeto, que é quando vamos falar de como cada personagem de LDM Forever se encaixa no universo de As Aventuras de Retnuh.
Vou aproveitar a ocasião para falar de alguns elementos mais do que só quem está e quem não está. Espero que vocês gostem.

Ah, sim, e, antes que eu me esqueça, o próximo time que terá sua postagem de "Refeito" será o time CHB, e, mais do que todos os outros, as mudanças neles são imensas.

Seja como for, muitíssimo obrigado a atenção, e até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário