sábado, 25 de março de 2017

Here and Now (2011) - Análise



LANÇAMENTO: 2011

1. This Means War
2. Bottoms Up
3. When We Stand Together
4. Midnight Queen
5. Gotta Get Me Some
6. Lullaby
7. Kiss It Goodbye
8. Trying Not to Love You
9. Holding On to Heaven
10. Everything I Wanna Do
11. Don't Ever Let It End


Foi em meados de 2011 que o grupo Nickelback começou a fazer barulho quanto a um novo álbum sendo lançado. Em Setembro, a banda lançou dois singles, Bottoms Up e When We Stand Together, seguida de This Means War em Novembro.
Ao ser lançado em Novembro do mesmo ano, o álbum foi bem recebido pelos fãs da banda, mas, assim como foi com seus antecessores, foi alvo de críticas negativas, terminando com uma pontuação de 51/100 no Metacritic, devido ao fato de muitos críticos terem visto as letras e composições como genéricas.
Independente de críticas, o álbum vendeu bem, com mais de duas milhões de cópias sendo vendidas até 2013 (possivelmente mais desde então).
Pessoalmente, eu tenho uma pequena história com este álbum em particular, já que foi o primeiro da banda que eu vi no processo de ser lançado; acompanhei os tweets, vi a chegada dos singles (até os ouvi na época), e fiquei completamente empolgado quando o álbum lançou. Eu o escutei e gostei pra caramba. Vejamos exatamente o que tinha em Here and Now.

Quando comparado aos álbuns que vieram antes, Here and Now parece estar mais próximo do estilo de All the Right Reasons, embora existam também semelhanças com Dark Horse, contando até com temas semelhantes no que diz respeito às letras. Músicas sobre mulheres (Midnight Queen, Gotta Get Me Some), conversas de bar (Bottoms Up) e as já esperadas músicas mais reflexivas (When We Stand Together, Lullaby) e românticas (Trying Not to Love You, Holding Out to Heaven e Don't Ever Let It End).
Pessoalmente, minhas favoritas acabam sendo as mais lentas, como é de costume: Lullaby, Holding Out to Heaven e Trying Not to Love You. No entanto, praticamente todo o álbum é divertido de se ouvir... Assumindo que você está no estado de mente certo, isto é.
Esse acaba sendo o principal problema com a banda. Se não há interesse por parte do ouvinte, as músicas acabam parecendo surrealmente parecidas entre si... Agora, quando o ouvinte está interessado, a identidade da banda brilha, e suas músicas se tornam magníficas.

VIDEOCLIPS

Lullaby, Trying Not to Love You e When We Stand Together foram as faixas agraciadas com versões em vídeo. Fora elas, Bottoms Up também recebeu uma versão visual, só que na forma de um Lyric Video.

Para esta última postagem, eu gostaria de trazer aqui os vídeos de Lullaby e Trying Not to Love You, já que ambos trazem uma pequena história para acompanhar o fundo musical, da mesma forma que foi com os melhores clipes da banda em momentos anteriores. Não farei comentários sobre nenhum dos dois, visto que eles já falam bastante por si sós.

Com vocês, os vídeos:





E com isso, concluo essa série de análises da banda, algo que eu deveria ter feito há dois anos. Espero que tenha sido informativo ou, ao menos, divertido de ler.
E, antes de concluirmos, peço perdão se esta última postagem foi menos cheia de informação do que as demais, acredito que o fator pessoal dela me pareceu mais interessante de se falar do que no caso das anteriores.

Seja como for, espero que você tenha um ótimo fim de semana, e uma ótima semana de quebra! Muito obrigado, e até a próxima!


Nenhum comentário:

Postar um comentário