domingo, 20 de dezembro de 2015

Caverna do tesouro: Desséc, Greats Wars, Horárias, Hunter Carter e mais

Botão do Retnuh só pra ilustrar que muita coisa dessa postagem é da época que eu ainda usava botões.
Minha casa está uma bagunça. Passei a manhã toda mexendo em um mundo de coisa pra poder ver o que ia ficar, o que se ia dar e o que ia pro lixo. Nessa confusão, achei a fonte do meu notebook antigo.
Estou dizendo tudo isso pra contextualizar que, depois de muito tempo, eu liguei novamente esse mesmo notebook e, o que eu encontrei, foi uma verdadeira mina cheia de vídeos, imagens e projetos inacabados, todos de uma época mais velha desse blog, alguns deles que jamais foram revelados ou mostrados de fato.

Depois que comecei a publicar as tirinhas semanais do Retnuh, percebi que tinham vários projetos que eu prometi que jamais passaram de algumas imagens conceituais (todas feitas dolorosamente no paint... ugh), palavras e apenas testes. Apesar de muitas produções terem morrido assim que foram mencionadas aqui, outras conseguiram ir relativamente longe, com o que eu agora chamo de "vídeos conceituais" preparados. Para que possam ficar seguros, decidi postar alguns deles aqui, nessa mesma postagem, explicando bem o que raios aconteceu com cada um deles, um pouco de sua produção e, é claro, o que o futuro reservou.

Por questões legais, por assim dizer, vou ter de utilizar o player do Blogger para mostrar esses vídeos. Além disso, alguns deles foram feitos no auge da minha adolescência, pouco tempo atrás, de fato, mas quando o mundo era bem mais tolerante a piadas e comentários de PÉSSIMO gosto. O mesmo vale para mim, devo admitir... Não estou tentando ser modesto quando digo isso: alguns desses vídeos são OFENSIVOS pra burro. Por conta disso, peço humildemente que sejam vistos discretamente.

Bem, você pode conferí-los logo depois da quebra de postagem.



TG TV - O que era?

A primeira coisa a se dizer, especialmente para aqueles que não conheceram o blog em meados de 2009~2011, era que esse blog passou por uma fase de querer ser um tipo de canal de televisão, chamado TG TV, sigla para The Greats' TeleVision. Por quê isso é importante? Porque, nessa fase, a única produção que parecia ter sentido era a de vídeos, por isso tantos projetos e tantas partes jamais terminadas. Não vou mentir, o motivo de eu ter acabado com isso foi mais por conta da minha falta de habilidade com programas de edição realmente bons e, é claro, falta de material para produzir o vídeo per si. Inclusive, bateu uma nostalgia quando eu vi tudo isso de novo. Bom, sigamos para o primeiro tópico desta longa postagem.

1. DESSÉC - Pilotos


Acho que um dos projetos que mais gostei de fazer, desde a criação do blog, até os dias de hoje, foi o Desséc. Tudo começou com uma imagem que eu tinha produzido, e que logo se espalhou em algo bem maior e que, de certa forma, me ajudou a desenvolver o visual de vários personagens. Na verdade, foi também um dos quais eu mais me dediquei: acordava quase todo dia às seis da manhã em pleno janeiro (de 2011, se não me falha a memória) só para trabalhar nisso. Não vou perder tempo dando as informações que vocês já tem como saber.
Me diverti muito com a produção, isso é fato, e eu conseguia visualizar um mundo de coisas: como a série ia se tomar, episódios futuros e, pra ser sincero, uma segunda temporada até me tentava.
Não me lembro bem o que foi que me fez parar com a série na época... Talvez tenha sido a então decepção de ter que me submeter a um cursinho pra tentar a faculdade mais uma vez, já que eu não sabia que seria aprovado nos classificáveis meses depois. No entanto, eu acredito que a reação inicial ao protótipo que eu preparei tenha tido grande impacto também... Passei quase meio mês trabalhando nisso, criando imagens, fazendo edição e tudo mais, só para ouvir dizerem que estava confuso, estranho e, sendo bem direto, horrível. Doeu pra cacete, mas... Eles tinham razão... Algumas cenas simplesmente demoravam demais, a falta de uma transição mais clara nas imagens era uma desgraça, e a falta de diálogo (um dos pontos que eu mais queria reiterar, e que foi um dos motivos de eu ter gostado tanto da ideia) deixava tudo a perder. E nem vou comentar sobre a introdução absurdamente desnecessária.
Você vai poder conferir esse piloto, que foi mostrado apenas a, creio eu, duas pessoas.


A produção praticamente morreu quando esse vídeo foi upado...

Bom, nem tanto...

Em 2013, ironicamente antes de eu começar uma nova faculdade, reencontrei as postagens do blog referentes a Desséc. Não me lembro bem do motivo, mas eu me coloquei a voltar ao projeto, e ver o que eu podia salvar para trazer de volta. Sentei e vi o vídeo de novo, percebendo quase que de cara todos os grandes problemas. Quase que da mesma forma da primeira vez, passei uma semana fazendo alterações: reeditando o vídeo, alterando cenas, direção musical, adicionando novas partes e um truque que me deixou mais orgulhoso do que deveria...
Essa nova versão recebeu uma reação mais positiva do que a primeira, embora não tanto assim...
Creio que, para melhor sentir as diferenças, você pode conferir a nova versão do piloto abaixo.


Como você pôde perceber, sem dúvida, as mudanças foram muitas: a introdução foi embora, algumas músicas foram alteradas, e, no geral, foram adicionadas novas cenas. É engraçado que essa versão é mais curta do que a original, mostrando quantos elementos desnecessários estavam lá. O principal problema, no entanto, é uma herança de erros na edição (os quais não faço ideia de como surgiram): muitas das novas cenas ficaram com a transição tremida, o que até funciona em alguns momentos, como o segundo letreiro, mas, nos outros lugares, era um incômodo sem tamanho.
Das duas versões, essa é a que mais me deixou satisfeito, e, do pacote de hoje, um dos meus vídeos favoritos. Talvez a quantidade de trabalho que foi preciso para tornar isso uma realidade seja um fator que considerei nessa "eleição", mas... Estou me distraindo.

- "New Data Collected"

Enquanto via a segunda versão do piloto, você deve ter notado essa pequena frase aparecer de vez em quando. O propósito era o seguinte: sempre que a frase aparecesse, o espectador teria a opção de clicar nela (por meio da função de anotação do YouTube, onde eles seriam publicados) para ser redirecionado a um site à parte, onde ele poderia ler mais a respeito de como os personagens chegaram naqueles pontos, os comentários deles em relação aos eventos que estavam acontecendo, além de BIO's, arquivos de som e tudo mais. 
Só de pensar nisso, fico logo animado, porque, caramba, me parece uma ideia muito bacana: permite a quem assiste a opção de aprender mais sobre o que está vendo com apenas o toque de um botão, vendo curiosidades e elementos que não poderiam ser mostrados de forma natural (ou que não parasse a ação da tela) no vídeo em si. 

Onde está Desséc agora?

Nos meses seguintes à produção do vídeo, me coloquei a escrever o roteiro de toda a primeira temporada. Ainda em 2013, eu consegui terminar tudo. Tentei seguir à risca tudo aquilo que foi dito nas postagens de 2011, embora muitas liberdades foram tomadas. O roteiro envolveria uma reviravolta danada, tomando inspiração de franquias como Metroid e Resident Evil, e até mostrando o complexo método de evolução da criatura do vídeo. Na verdade, seriam dois, com um evoluindo ao máximo e, eventualmente, enfrentando e devorando o outro. Haveria uma vilã bem grande ao final também, entrando em soma com a luta dos Dessécs, e tudo entraria em um nível bem grande de lutas, curiosidades e mistérios envolvendo a criatura. 
Assim como foi produzir o vídeo, o roteiro foi divertido pra caramba de fazer. Mesmo assim, apesar de tê-lo pronto e muito bem memorizado, devo explicar: Desséc está morto e enterrado. 
Para que a produção saísse direito, seria necessário grande capacidade de criação de imagens, animação de verdade, música própria, enfim, uma produção, de fato, e não uma brincadeirinha que você pode fazer sem nenhuma habilidade técnica. 
Eu ADORARIA tornar isso numa realidade, mas, no momento, realmente não é possível para mim... Ainda...
Cheguei até a iniciar a segunda parte do primeiro episódio, com Hunter ficando sem a armadura e perdendo a nave, mas, por tudo isso que eu acabei de falar, foi pra gaveta, e lá ficou.

A razão para trazer isso de volta é porque eu falei TANTO disso na época, e nunca cheguei a mostrar nenhum resultado... Esse é, então, o fechamento dessa produção que passou tantos anos no limbo. E, caramba, como é bom finalmente levar isso a público...

2. GREATS WARS - Comentários



Já falei de Greats Wars, mostrei coisa pra burro, mas, aproveitando a oportunidade, falemos um pouco dele. Já que não tem há tanto o que comentar.

  • O episódio 6 começou a ser produzido assim que o 5 foi lançado, mas, obviamente, jamais foi terminado. 
  • O episódio 6 tinha roteiro completo, e, pelo menos uns 20% dele tinha sido finalizado. 
  • Coisas que iam acontecer no episódio 6: Retnuh e Marcus iam procurar por gasolina, Drake ia FINALMENTE revelar qual era o plano dele, Wolf ia enviar dois novos personagens atrás de Retnuh, Marcus e Davi e, também um personagem de outra série faria sua presença do lado dos políticos: o episódio acabaria com Davi sendo sequestrado por esse mesmo personagem. 
  • Lembra aquele musical que eu falei? Pois é... Não teve três minutos...
  • Talvez isso já seja conhecimento comum, mas, os dois primeiros episódios não tinham sido feitos com dublagem em mente: por isso que demora tanto de uma fala para outra. 
  • Foi só no episódio 5 que se deu a ideia de fazer os lábios dos personagens sincronizarem a dublagem... O problema é que isso veio ao custo de uma fala mais fluída (como vocês já sabem, o episódio 5 tem falas muito lentas).
  • Um dos motivos de os primeiros episódios terem tantas falas e comentários estúpidos fora de roteiro (aqueles que não são legendados) é que, bom, eu me sentia estúpido com o microfone ligado sem falar nada; isso e o medo de um som externo atrapalhar de alguma forma.
  • O primeiro episódio de Greats Wars foi um dos poucos vídeos que fiz que recebeu comentário: um cara dizendo que minha voz era horrível, que eu soava como um "baiano desgraçado" ou algo assim, e me demonizando por ter feito ele perder seu tempo... Meu coração nunca se curou... *sniff*
  • A abertura entraria em vigor a partir do episódio 6, mas, como ele nunca foi lançado, ela ficou lá, sozinha e sem motivo...
  • Eu adoraria voltar para Greats Wars, talvez até mais do que pro Desséc. Mas o mesmo motivo me impede de fazê-lo... No entanto, as chances são mais altas, já que dá pra trazer a série de volta por outros meios.

A propósito, já vi que terei de remover os vídeos do YouTube (de novo, por questões legais completamente legítimas), então vou preparar um reupload dos mesmos via o player do Blogger. Tem seus contras, mas, é mais apropriado.

3. HUNTER CARTER - Onde se encaixa?



O último update dessa série ocorreu em dezembro de 2010, e, caramba, aquele foi um período e tanto... Pelo que eu já vi, eu compartilhei tudo o que pude aqui no blog, embora algumas coisas tenham se perdido no tempo. 

Pra começar, eu havia feito um pequeno roteiro detalhando os primeiros momentos da série, com Hunter iniciando tudo em um laboratório, sendo caçado por um monstro gigante. Foi nesse roteiro que surgiu a ideia do "New Data Collected", que seria idealizado depois para o Desséc (como você viu mais acima). Na época, a série seria completamente paralela a tudo o que eu havia feito até então, e seria um dos meus trabalhos mais sérios. 
No entanto, o tempo passou, e, adivinha só, o universo no qual a série aconteceria acabou se alterando também. Do jeito que ficou, a série deixou de ser uma mera brincadeira, e passou a ser o que podemos chamar de canônico. 
Na atual encarnação de Gência (a mesma da qual o Retnuh das tirinhas semanais faz parte), a série tem um grande papel: nada que será explorado nas tirinhas, aviso, mas, que poderá ser aproveitado de uma forma ou de outra. 

Um segundo elemento que se "perdeu" foi o design das tropas de domzols, os vilões da série. O exército domzol teria diferentes tipos de unidades: infantaria, armas pesadas, aviadores, e por aí vai, e cada uma teria um uniforme diferente. Também haveriam armas e máquinas humanoides bem poderosas e mortíferas. Uma baita duma guerra ia acontecer, com traços de espionagem e drama pessoal envolvidos no meio.

De todas as séries, essa aqui é a que mais está na minha lista de prioridades, por conta de seu valor canônico. Darei um jeito de fazê-la funcionar... Só preciso de tempo... E de umas férias, quem sabe... Há mais para ser dito no tema, mas, acho melhor segurar para mais tarde...

4. HORÁRIAS - Origens



UUUUUUUUUUUUUUuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuggggggggghhhhhhhhhhhhhhhh......... Tenho mesmo que falar disso? OK... 
Se você viu algum dos vídeos, ou ouviu alguma das temporadas que eu liberei aqui no blog, deve saber que Horárias é a parte "ofensiva" à qual me referi antes. 2008... Foi um ano muito diferente...
A única razão de eu estar aparecendo para falar disso agora é para explicar de onde raios isso surgiu:
Eu tinha acabado de chegar da aula de caratê, lá na casa do meu pai, e, enquanto eu ficava lá sem fazer nada, puxei o MP4 que eu tinha na época e percebi que eu nunca havia testado o microfone dele. "Poxa, parece uma boa forma de passar o tempo", pensei, e foi isso mesmo.
Eu fiquei tentando inventar uma história o máximo possível para poder ver o quão longe eu conseguia ir e tudo mais: eis o motivo de ter tantos "uhh's", "éééé's" e repetições diversas, além de que dá pra ouvir meu irmão jogando Ocarina of Time no meio da gravação (ele até fala "Gerudo Valley" de uma maneira que, até hoje, eu acho hilário). 
No grande esquema das coisas, foi uma experiência divertida e maravilhosa: 10/10, faria de novo. Só que, o produto final não envelheceu nada bem... Oh well, continuo ouvindo pela nostalgia... Só pela nostalgia...
P.S.: Esse marca um dos primeiros momentos do Retnuh em vídeo, também... Por algum motivo, foi ele que me veio à cabeça quando inventei o personagem Munglel. Hmm... Isso quase pede um Easter Egg... Quase.

5. ENCERRAMENTO E STAND-ALONES


No auge da TG TV, eu procurava um mundo de coisas para tornar em vídeo. Uma dessas coisas foi em 2008 pra 2009, quando eu decidi que queria porque queria fazer um encerramento bem tosco para a minha então produção: Oráculo do Tempo.
Sem dizer mais nada, veja o resultado:


Éééé... É triste...
Eu queria fazer algo bem rápido: preparar e terminar em pouco tempo, e tinha que ser de uma forma bem caricata, pra poder contrastar com a coisa épica que seria tanto a série em si quanto a introdução. Não me lembro de como eu imaginei a introdução na época, mas a série... Bem, eu peguei as páginas e dei uma nova olhada hoje (ou, ontem, vendo agora que já passou da uma da manhã), e, eram OK... Embora meio sem graça, devo admitir...
Postei isso aqui porque foi uma das minhas primeiras tentativas em trabalhar com créditos finais... Poxa, apesar do ar mais primitivo do que dinossauros triássicos, isso é mesmo coisa de créditos finais. Tentei ser super-criativo com os nomes da equipe (reutilizando o nome de personagens que eu já tinha criado) e com as funções de cada um... Lembro que fiz tudo isso à noite, numa viagem para a serra, e, poxa vida, foi divertido.
Outra coisa legal é que esse vídeo me abriu os olhos de como dar a noção de movimentos com imagens estáticas e edição bem básica. Os olhos piscando do nosso protagonista foram isso! A partir disso, teve mais movimento nos vídeos que eu produzi desde então... Ah... Bons tempos...

Falando em bons tempos, permita-me concluir essa postagem absurdamente longa com um último vídeo.


Assim como os outros, esse seria o piloto de uma série grande, embora sua produção não tenha dado a entender isso...
Foi uma tarde bem entediante, e me coloquei para testar a qualidade do microfone do meu computador da época. Comecei a gravar, e fui rolando até onde podia... Por isso que existem coisas aí no vídeo como essa briga de "conferência" ou "reunião" ou sei lá... Fiz primeiro o áudio, tentando ser o mais sério que podia, e, depois, vieram as imagens e a edição. Foi uma produção bem simples, sem dúvidas; um pouco trabalhosa, mas, eh... faz parte. 
Se não estou enganado... Isso era pra ser parte de outro blog que eu tinha, o irmão TS TV (que significava The Strongs' TeleVision), mas que acabou não indo muito longe. Até postei isso lá, mas... Eeeh...
Acho que vale dizer: a história desse vídeo encontrou vários formatos diferentes com o passar dos anos, sendo esse aí um dos primeiros. Uma versão bem mais recente foi postada aqui no blog mesmo, não sei se vocês vão lembrar...
Apesar disso, mesmo sem uma continuação, o vídeo me pareceu sólido o suficiente pra ficar de pé sozinho. Ele dá exposição o suficiente, e mostra o comportamento dos dois personagens de forma razoável (surpreendentemente não focando tanto na ação quanto os outros que eu coloquei aqui). Sou suspeito para falar, obviamente... Isso e eu acho que os contos que tive de ler esse ano para a cadeira de Literatura Inglesa I estão mexendo com minha cabeça...



Postagem longa até demais, não é? Então acho melhor terminarmos por aqui... Tinha muito mais coisa que eu encontrei no computador antigo, até aqueles vídeos musicais que eu fiz e publiquei na TG TV. Tinha outras coisas interessantes, alguns tributos, outros vídeos que nunca viram a luz do dia, e um pouco mais do que isso... No entanto, para o bem dessa postagem, da minha noite de sono, e da paciência de vocês, deixarei isso para outra oportunidade... 
Estou aqui escrevendo há umas duas horas, sem exagero, então vou parar por aqui. 
Muitíssimo obrigado pela sua imensa paciência, e até a próxima postagem, onde veremos o Retnuh passando um tempo debaixo da ponte do troll. Caramba, que nóia. 

Boa semana a todos vocês, e perdoem os possíveis erros gramaticais e ortográficos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário