sexta-feira, 20 de março de 2015

Operação: Big Hero (2014)

Ao final do meu Projeto 50, eu disse que iria fazer uma pequena análise a respeito do filme Operação: Big Hero, depois que estreasse e que eu o assistisse... Já têm alguns meses desde que eu assisti e, mesmo tendo escrito uma resenha já, eu a achei muito bagunçada e, ocupado com várias outras coisas, fiquei me impedindo de escrever outra e publicar.

Mas, eu quero terminar o Projeto 50 (e... quatro) de vez, e o farei agora, com uma pequena resenha do último filme da Disney (até o momento desta publicação).


Por onde começar...? Acho que dizendo que eu achei o filme fraco é um bom começo...

É, isso aí. Eu achei Operação: Big Hero mediano pra baixo. Não sei se foi o roteiro, ou os personagens, ou simplesmente tudo, mas o filme não chega nem perto do que eu considero como o real potencial da Disney.

Acho que o meu principal problema é que o filme não parece saber o que quer. De primeira, você acha que vai assistir algo nos moldes de Gigantes de Aço, depois, parece que vai ser algo de Laboratório de Dexter, aí, vira uma história típica de desenho japonês que trata de superação e, finalmente, entra o gênero super-herói. Essa salada, apesar de ter uma cara boa, dá um embrulho no estômago, e tem um gosto bem ruinzinho.

Mesmo assim, eu não posso negar que o filme tem seus momentos brilhantes. As cenas que falam de tristeza e superação, por exemplo, são muito legais, especialmente quando vemos o protagonista Hiro aprendendo mais sobre o seu irmão. São essas as partes que salvam o filme de ser outro Dinossauro ou Bolt. Essas e as cenas iniciais do robô (Baymax, eu acho), é claro.

Se tem um ponto que eu não gosto, pra valer mesmo, é o final. Achei tão estúpido, e tão infantil, que realmente me enfurece. É um daqueles que poderia ser infinitamente melhor se alguém tivesse escrito as coisas com mais calma. O resultado final ficou mais para um filme Sessão da Tarde com cinquenta mil sequências que ninguém atura.

E é só isso que eu tenho a dizer. Eu tenho noção que sou um dos poucos que não gostou do filme, e, por isso mesmo, eu sugiro que se dê uma olhada. Existem várias cenas bacanas, mas o produto, no geral, é pouco atraente, seja lá o que isso quer dizer...

Com isso, posso dizer que o Projeto 50 está finalmente finalizado e enterrado. Bom, ele estava finalizado e enterrado já tinham uns meses, mas, ei, agora realmente não existe muito mais pra se falar...
De todo jeito, já fiz minha postagem de despedida, então basta dar uma olhada nela pra ter a conclusão.

BYE-BYE crianços! Até a próxima postagem!

P.S.: Eu sei que o filme teve como base uma história em quadrinhos da Marvel... Mas, pelo que eu pesquisei, as duas são tão diferentes que nem dá pra desenhar semelhança. Por isso mesmo não fiz qualquer menção a isso na análise.