segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Os Grandes - Imagem oficial - Veredito

Já tem mais de dois meses, senão três ou quatro, desde a ideia de fazer um desenho com todos os personagens do mundo dos Grandes surgiu em minha cabeça.
A minha fonte não só de inspiração, mas para dar essa ideia foi essa imagem, que simplesmente me fez ficar estático e impressionado.
O mundo dos Grandes é um dos universos mais abrangentes que já fiz, senão o mais abrangente e, ouso dizer, o mais magnífico e diversificado. Apesar de ninguém nunca ter dado uma olhada no mundo dos Grandes da forma que eu desejaria (embora eu ache que isso mudará no futuro), eu acho que o que menciono e libero aqui no blog dá uma ideia.

O desenho, originalmente chamado de Projeto LDM, foi um dos projetos mais ambiciosos e mais viciantes que eu já fiz. Não só ele me fez fazer uma pesquisa completa nos personagens e ideias que fiz no passado, como também testou os meus limites e, por mais estranho que isso possa parecer, me ensinou muito. Além disso, finalmente consegui criar designs para alguns personagens que não os tinham.
E, dessa vez, eu utilizei minha atual e mais recorrente forma de desenhar: um bom e velho estilo à lá ocidente, ou algo perto disso. O que importa é que o visual de todos os personagens ficou da forma que eu queria que ficasse e, o mais importante ainda, nenhum visual, nenhuma roupa, nada que eu venha a desgostar no futuro (como foi o caso de muitos visuais que vi).
Em resumo, tudo nesse super-desenho faz com que ele tenha o direito (pelo menos agora) de ser chamado de "Imagem Oficial" dos Grandes.

Eu já fiz duas imagens oficiais aqui:

Imagem oficial da primeira temporada de Desséc

Imagem oficial da série Greats Wars

Só que nenhuma delas tem o charme do super-desenho. Na verdade, uma imagem como aquela realmente se destaca mais e marca mais.

Fazer esse desenho me lembrou de todas as histórias que escrevi, e abriu caminho para ideias completamente novas.
Fazendo ele me deu ideias para as batalhas no futuro Projeto X, cenas de batalha em Supergências, Retnuh Harris, Lorenzo, e a tão aclamada batalha entre Glenn e o Soberano no Capítulo Final. Esse desenho me deu gosto para fazer minha própria mitologia, escrever um livro sobre seus personagens, criar a linha do tempo do universo.

E as pessoas podem me perguntar: Davi, tem certeza que valeu à pena passar horas sentado, desenhando algo que não vai nem lhe render dinheiro, talvez nem prestígio, nem nada?
Eu fico de pé, e respondo com toda a certeza do mundo que sim. Pois aquele desenho não só foi uma imagem grande com um monte de personagens desenhados nele. Aquilo foi o reflexo daquele que talvez seja o "trabalho da minha vida". Sei que ainda sou jovem, sei que ainda tem muito chão pra andar, e sei que quase ninguém gosta muito do que escrevo (embora eu ache que seja porque ninguém conhece direito). Mas eu também sei que essas histórias refletem, em parte, minha vida, minhas crenças, meu mundo em geral.

Agora que estou aqui, passo a vocês, a conclusão. A Imagem Oficial tem 10 folhas de comprimento, com praticamente todos os personagens já feitos por mim. Faltaram um ou dois, mas eles só surgiram depois, mais recentemente. Fora isso, TODOS os personagens feitos no Universo dos Grandes estão presentes. Abaixo, a lista:


Nota: a importância dos personagens não é retratada na posição dos desenhos, visto que protagonistas como Sin-Os, Netros e Sakura estão nas fileiras inferiores.

Personagens já desenhados (base ao topo)

Folha 1: Vilões mais cruéis, como monstros ou aliens (direita para esquerda)

Fileira 1: Infant Desséc, Soldado Desséc, Operário Desséc, Defensor Desséc

Fileira 2: Rainha Desséc

Fileira 3: Castenthlesses (Supergências/Zero), Iatnirik (Supergências/Zero), Synamo (Supergências/Zero)

Fileira 4: Trews (Dragão) (LWL), O Escolhido (LWL)


Folha 2: Personagens em geral  (direita para a esquerda)

Fileira 1: BEE (Supergências/Hunter), J-26 (Supergências), Crak (Supergências/Hunter), Shi (As aventuras de Retnuh), Netros (As aventuras de Retnuh), Sin-Os (Zero)

Fileira 2: Nex (As aventuras de Retnuh), Guile (Zero), Zukiloa (LWL), Methforce-black (Supergências)
(esquerda para a direita)

Fileira 3: P. Kingo (As aventuras de Retnuh), Prof. Baby Ass (Geral), Doug Black (Supergências), Mily (Zero), Gardur Fente (Supergências)

Fileira 4: Ikol/Loki (As aventuras de Retnuh), Odin (As aventuras de Retnuh), Zack (Zero), Hina (Zero), Sakura (As aventuras de Retnuh), Dr. Harold (As aventuras de Retnuh)

Fileira 5: Itey com banjo (LWL) ,Zina (LWL) ,Itey com violino (LWL), Nakura (As aventuras de Retnuh), Pai do Retnuh (As aventuras de Retnuh)

Folha 3: Principais criminosos/mafiosos, anti-heróis e policiais/guerreiros éticos
Lado Esquerdo (<--): Leonard Doom (Supergências/Hunter), Fóton Haro (As aventuras de Retnuh), Sarah Haro (As aventuras de Retnuh), Haro-Za (Supergências/Hunter), Nero (Supergências), Chaos (Supergências), Drake Vicina (Supergências)

Meio: Hades (Supergências), Frederick Musseau (As aventuras de Retnuh)

Lado Direito (-->): Tomas (As aventuras de Retnuh), Nav-los (Zero), Aklos (As aventuras de Retnuh), George Clone (As aventuras de Retnuh), Hunter Carter (Supergências/Hunter), Maio Sanacirema (Supergências/Hunter), Dark Detros (Supergências)


Folha 4: Oráculos, Dinossauros e Projetos

Fileira 1: Oraculana, Anne Bells (Supergências), Matt Hart (Supergências), Luke Hart (Supergências), Ivalos Jayro (Supergências), Lucy Carter (Zero)

Fileira 2: Tirano Dare (Supergências), Spidarertha (Supergências)

Fileira 3: Tricero Taurus (Supergências)

Fileira 4: Míria (As aventuras de Retnuh), Dhorothy Fang (Supergências), Mauro Jr. (Supergências), HX (Supergências), Light Detros (Supergências), Projeto 1 (Supergências)


Folha 5: Lorenzo World Legends

Fileira 1: Swert, Zeyna, Trews

Fileira 2: Saunno, Lobo Dutari, Cammally

Fileira 3: Rock R. Croc, Trussy, Rei Lorensso


Folha 6: Lorenzo World Myths

Fileira 1: Wing, John, Max

Fileira 2: Vampight, Bocko, Tetsú

Fileira 3: Ghost (clone 1), Dutari Wolf (clone 2)

Fileira 4: Dutari


Folha 7: Caosianos

Fileira 1: Caos (espírito)

Fileira 2: Harox

Fileira 3: Odanta, Máxter

Fileira 4: Xevá, Xanun


Folha 8: Supremos

Fileira 1: Frederick Hart, Firadiff, Dwayne

Fileira 2: Adiv, Tales Hart, Gência


Folha 9: Supremos (2) e Suserano

Fileira 1: Zeyna, Kroma, Dumclow

Fileira 2: Chaos Overlord, Soldados Xenovianos (Ninja/Máxter, Fuzileiro/Odanta, Espadachim/Xevá, Assassino/Harox)

Folha 10: Os Grandes

Fileira 1: David Hart

Fileira 2: Retnuh Harris

Fileira 3: Nil e Pexo

Fileira 4: Glenn Detros

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Finalmente, os dias finais

E, finalmente, os dias de rascunho, esboços e coisas básicas de desenho estão chegando ao fim. Meu super-desenho finalmente chegou a sua última página.

A última folha, a décima pra ser mais exato, deve contar com os quatro personagens principais do universo dos Grandes: David Hart, Retnuh Harris, Nil e Glenn Detros.

Antes de chegar aos pontos dos finalmentes, eu gostaria de falar como eu originalmente planejava a estrutura dessa folha.
Pra mim, os quatro personagens iam ficar em uma fileira horizontal, no meio da folha. Depois do sufoco que foram as páginas 8 e 9 em termos de filas horizontais, achei melhor retirar a ideia da cabeça.
Como ficou? Ou melhor, como vai ficar. O David está no centro inferior, enquanto que o Retnuh foi desenhado na esquerda. A ideia é fazer eles formarem um losango, se é que me entendem. David no canto, Retnuh noutro e por aí vai.

O David Hart, minha incarnação no mundo que eu criei, por assim dizer, obviamente a lenda das lendas (um pouco de egocentrismo não faz mal a ninguém), foi um saco pra desenhar. Eu sabia o que eu queria, como queria, e tal. O problema era ele sair. E COMO ele foi difícil.
Eu disse que passei 20 a 30 minutos fazendo o Chaos Overlord, não foi? David Hart demorou mais... Bem mais. Acho que uns 40 minutos tá bom.
O maior problema foi mesmo deixar o rosto bem sincronizado com o corpo. Além disso, eu não conseguia achar nenhuma música que me desse ajuda. Desenhei e apaguei... Desenhei e apaguei...

Chegou à base de eu desistir, só pra tentar no outro dia, no caso, hoje. Hoje, não só encontrei a música que me ajudou, como também acho que acertei em cheio, deixei ele ótimo. Não vou dizer que é o melhor David que já desenhei. Nenhum deles jamais ficou tão bom quanto esse:

David é o de verde, sou EU!!
Mas, ficou ótimo. Um dos melhores que já fiz, ouso dizer. Também tentei dar uma boa ênfase, ou ao menos tentei, à espada dele. A mesma, eu acho que fiz umas duas ou três que remetem a ela no desenho, mas a espada mesmo, está nas mãos do herói aqui.
Depois de muito sofrimento, frustração, e minutos, consegui fazer ele aqui, sem medo.

O segundo a ser desenhado foi o Retnuh. Eu tentei deixar ele com um ar parecido com esse aqui:

O que está segurando uma bola de neve, com o cabelo preto e a jaqueta vermelha.
Além disso, eu tentei dar a ele um pouco do ar proporcionado pela série Greats Wars. Parece que deu certo. Ele ficou bacana, com o estilo de desenho animado, sem o tom realista que eu costumo dar. O que tentei mudar foi a posição dos óculos dele, agora na testa, e baixar um pouco a jaqueta, sem ficar com aquelas golas muito grandes. Também tentei deixá-lo o mais infantil possível, pra remeter bem ao personagem como ele é.

Só faltam mais dois personagens para finalmente terminar meu super desenho. Nil e Glenn Detros. Assim como o David (que remeteu ao estilo eu desenhado) e o Retnuh (que remeteu ao estilo desenho animado), eu quero dar um estilo único para cada um deles, ou ao menos tentar. No caso do Nil (que eu já comecei a desenhar, mas já apaguei uma pancada de vezes), eu quero remeter nele algo que reflita não o medievo, mas a fantasia. Já o Glenn, eu quero dar a ele uma sensação sombria (já que, bom, quem me acompanha aqui sabe porque é). Claro, essas coisas, eu tenho certeza de que só vão se mostrar bem aplicadas na hora de pôr as cores.

Dois personagens, e o projeto mais ambicioso que já fiz estará completo! Me desejem sorte!

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Viajando mais uma vez pela enésima vez!

Fala pessoal! Pelo título, acho que vocês já puderam adivinhar do que vou falar hoje! NÃO, não vou falar de Linhas Aéreas, nem nada disso!

SIM! Eu vou falar do meu SUPER-DESENHO, que, finalmente, chegou à sua nona e penúltima página!
Ah... E de pensar que eu acreditava que ele só ia ter 5 páginas! É a prova de que eu tenho MUITOS PERSONAGENS, né?

Tava vendo aqui, e pelo que parece a última vez que eu falei foi sobre a oitava página e meus planos para colocar mais dois personagens nela, certo? Bom, adivinha o que deu errado? Não, sério... Adivinha!

O espaço restante na oitava página não foi suficiente para colocar mais personagens. Se eu colocasse, ia ficar um negócio feio, e eu não iria poder adicionar alguns detalhes. Deu no que deu, resultando na criação inconsequente da nona página.
A nona página é, até agora, a página mais difícil já feita por quem vos fala. Não só tiveram "personagens antigos" redesenhados, como quatro novos feitos pela primeira vez.

Eu comecei a página dando base para os Supremos restantes. A ideia é que só faltavam dois, mas eu consegui encontrar um caderno que dizia que ainda faltavam três (o que contribuiu para a nona página ser escolhida). Dois deles eu nem ao menos lembrava que tinha feito.

A primeira que eu desenhei foi Kroma (nome esquisito, eu sei), Suprema da Liderança. Tentei evitar colocar muitos traços femininos nela, até pra ajudar na personalidade da garota fria e sarcástica que ela é. Tentei dar a ela umas roupas mais folgadas. Sex appeal? Negativo. Passei uns quarenta minutos tentando descobrir como RAIOS ela ia sair. Pensei, pensei, pensei e pensei. Primeiro uma armadura medieval... não. Depois, um terno... não. Aí eu pensei: como são os líderes de verdade dos dias atuais? Dei a ela uma roupa casual, sem nada demais.

O segundo foi o Dumclow, MALDITO QUE SÓ EXISTE PRA ENCHER!! Sério, eu só havia feito UMA referência a ele no caderno que mencionei, e, pra mim, isso é mais do que suficiente pra dar a ele um lugar de direito aqui. Em compensação, sabia como ele ia sair: um palhaço. Assim como muitos outros personagens, ainda faltam alguns detalhes nele. Queria ter deixado ele meio gordo, e é isso que farei depois, além da típica maquiagem de palhaço.

A Zeyna, ela já é veterana no campo das ideias. A coisa é que eu nunca soube como ia desenhá-la. Dessa vez, a coisa ficou meio óbvia. Ela é Suprema das riquezas e da caça. Então, dei a ela um visual jovem, vestida em um vestido grande, cabelos daqueles de gente rica ou que se acha rica (pensei no visual da Carmem da Turma da Mônica Jovem, desculpa!!). Ainda faltam alguns detalhes. Eu queria ter colocado nela um colar de diamantes, uma tiara talvez (pra bancar a patricinha princesa) e mais algumas coisas que obviamente são caras. Qual a referência às caças? O vestido é estampando com listras como se fosse um tigre... Não me matem.

E agora... Um momento de silêncio, sim?

...
...
...
...
...
...
...
...
...
...
...
...
...
...
...
...
...
...

...





...

Agora, chegou a hora de falar do personagem MAIS FODA já desenhado nessa lista. Sim, ele é mais foda do que o Máxter!!
Estou falando do vilão final da minha Saga dos Grandes, o vilão final e, se você pudesse ver as sequências na minha cabeça, mais poderoso que eu já criei. Som de tambores por favor...

O lendário e indestrutível CHAOS OVERLORD!! O fodão vilão que Glenn Detros enfrenta ao final de sua saga no CAPÍTULO FINAL (novo nome pro Conto de Fadas), a fusão dos quatro Caosianos: Xevá, Harox, Máxter e Odanta.
OK, chega de encher o saco. Esse sim, foi um dos mais complicados de se desenhar, tão complicado que eu tive de me afastar do desenho por dois dias pra poder pensar na melhor forma de fazê-lo! Sério, FOI UM PORRE! Mas o resultado final foi imensamente satisfatório, apesar de eu ter errado em detalhes pequenos, coisa que pretendo consertar hoje ainda. Sem zoeira, eu acho que nunca me preparei tanto para fazer uma imagem. Até porque, eu queria que ele tivesse todos os detalhes dos outros vilões, e queria deixá-lo mais incrível do que todos os outros. Passei uns vinte a trinta minutos desenhando.
Meu maior problema foi, realmente, o rosto, ou melhor, a cabeça. Sempre que eu pensava nele durante as sequências de ação, eu me remetia ao Máxter (justamente por ter sido o vilão mais recorrente do Capítulo Final). Mas, mais uma vez, a simplicidade venceu. Ele ficou muito parecido com o Xevá transformado, com três chifres na cabeça. Só procurei alterar um pouco, deixando eles mais pontudos e mais retos, além de mais longos, parecendo uma coroa (que coisa, não?). Coloquei no ombro direito um velocino, pra remeter ao Braço de Hércules do Xevá. Uma manopla no braço esquerdo pra remeter ao Harox. Duas asas, o que lembra os propulsores do Odanta. Já do Máxter, ele meio que retém a personalidade.
Fiz questão de colocar a lança dele. O problema é que, depois que eu vi, ficou um tridente. É um dos detalhes que pretendo consertar.
Na verdade, olhando ele aqui, ficou parecendo o CAPETA! Chifrudo, com asas, e segurando um tridente. Oops... É, eu definitivamente tenho que ajeitar essa lança!

Pra fechar, eu coloquei, atrás do Chaos Overlord, os quatro tipos de soldados do exército Xenoviano (que, anteriormente, só tinha dois tipos). Observando os desenhos da primeira edição do Capítulo Final (chamado de Zero na época), notei que eu usei muitas das formas antigas dos Xenovas. Nos finalmentes, achei melhor retirar, pra manter só quatro tipos, e os quatro tipos remetem aos Caosianos.

Temos um Ninja (que só tem um pano no rosto na verdade), tipo de soldado do Máxter. Um fuzileiro ciborgue, pra fazer referência ao Odanta e sua alta tecnologia. Um espadachim, com uma armadura legal, remetente ao Xevá. E um assassino que usa chicotes e correntes, remetente ao Harox. E agora, a explicação.
Máxter sempre foi um guerreiro furtivo, mas extremamente inteligente. Tanto que ele vira Rei!
Odanta era um fuzileiro, e depois criou uma "armadura" de alta tecnologia e fica usando por aí.
Xevá começou como um espadachim de uma arena, e só depois conseguiu seu título de Rei do Caos.
Harox era um assassino treinado pelos Supremos, que, obviamente se rebelou.

Malz, eu tinha de falar isso!
Agora, vou-me embora, até porque tenho essa página para consertar (deixar o Overlord menos... estranho).

Valeu pessoal, e até a próxima!

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Ser ou ser... Cadê a questão? (um papo sobre terror)

Ah... Quarta-feira... Dia para... fazer.... alguma coisa. Qualquer coisa. Como sempre... E... talz.... e...
AH!

Agora é hora de desabafar algumas coisas, falar de outras, e mencionar completas idiotices que não são dignas de seu tempo, tudo à melhor maneira Davi (ou seja, pior ainda).
Vamos começar com o que minha linda e perfeita mente veio criando esses dias.
Hoje, logo hoje, não sei porque, nem onde, nem quando, fiquei ouvindo umas músicas, de sempre. E, como eu tenho o estranho costume de fazer, criei um trailer na minha cabeça pra combinar com a música. Eu sempre faço isso, tanto que, se você for olhar no meu mp4, você vai ver as pastas divididas pelos nomes das minhas séries:

LDM
- Os Grandes
-- Supergências
-- Conto de fadas
-- LWL
-- Retnuh
-- X-pecial
.
.
.
.

Por aí vai. É, até minhas músicas são divididas por meus pensamentos. Só tem algumas que eu mantive em pastas com o nome do cantor ou da banda, pelo simples fato de serem especiais a esse ponto. Mas, enfim.
A série da vez foi a de nome provisório "Conto de fadas". Eu já falei bastante sobre essa série aqui.
Dessa vez, eu ouvi às músicas pensando em alguns detalhes que eu acho que poderia melhorar. Além de ter melhorado e refeito algumas cenas. Uma das primeiras coisas em eu reimaginei foi uma cena na qual eu retrato um tipo de... nem sei direito o nome. Uma cena entre a Lúcia e o Glenn, na qual eles nem ao menos se encontram.

Bom, e falando em histórias, um certo tipo de ideia vem permeando minha linda e perfeita mente esses dias. Primeiro, veja o vídeo abaixo:




O que vocês viram foi uma demonstração do jogo Aliens Colonial Marines que, estranhamente, vai servir de  continuação para os filmes Alien. É, eu também estranhei...
De qualquer forma, já faz um tempo em que eu procuro adicionar um pouco de terror a algumas de minhas histórias, sendo o que mais viu tentativas "Hunter Carter". O pior de tudo é que tudo que eu vi nesse vídeo, eu vi como algo que eu sou perfeitamente capaz de fazer. Não, não os gráficos, não os aliens, apenas os elementos. Alien é um tipo de ficção científica de terror, não? Ver um vídeo como esse me dá vontade de fazer algo, no mínimo, parecido, em termos de criatividade. Embora o ideal de uma nave destruída, cheia de bicho dentro e esses bicho querem matar todo mundo lá dentro seja um clichê daqueles bem usados, mas é um clichê que, ao menos a meu ver, ainda funciona.
O que é engraçado quando se fala de coisas de terror. A maioria dos filmes de terror são um clichê atrás do outro, ao menos em essência. É só você pensar em Sexta-feira 13 ou Pânico. O negócio quase sempre é o mesmo: um cara com alguma coisa pontuda, de máscara, correndo atrás de um bando de adolescente irresponsável, e matando um atrás do outro.
Mas é aquela: clichês funcionam.
O único problema que realmente tenho com histórias do gênero de terror é a quantidade exagerada de sangue (exagerada e desnecessária). Não, sério. Tem muito filme por aí que usa e abusa. Um exemplo muito engraçado é o filme "Premonição", cujas mortes são tão absurdas e sangrentas, que são engraçadas (sei disso porque todo mundo que assistiu os filmes pode confirmar isso).
Eu nunca assisti nenhum filme de terror, só os AvP e o Predadores, além de alguns trechos do Alien. Fora esses, bom, não vi nada. Um dos pontos que me mantém afastado desses filmes é o sangue. Não sou muito fã de filmes com sangue. Claro, existem casos em que se torna um tanto necessário, como os filmes dos Predadores. Tipo, o sangue é necessário pra mostrar o modo que os Predadores tratam suas caças, e o mesmo vale para alguns outros filmes. O negócio é quando sai de controle. Além disso, existem filmes que nem são assustadores, só são nojentos pra caramba. Um claro exemplo são os dois AvP's. Você praticamente não sente medo, mas fica enojado pra caramba. Sério.
Admito que já joguei jogos de terror também, tais como o Resident Evil (o primeiro). Claro, esses tem sangue, além de monstros bem grotescos.
O que realmente me deixa um tanto grilado é que existe um tipo de terror que eu acho bem menos grotesco e nojento, e que pode ser aplicado. É o caso das primeiras partes de Metroid Prime 2: Echoes.



Vendo alguns trechos do vídeo acima, acho que você pôde perceber que um pequeno toque de medo e terror se alastra, especialmente quando você encontra os corpos dos soldados. Além disso, vê-los se mexendo de novo, e atacando você pode, ao menos ser surpreendente na primeira vez, e acho que vocês concordam (dá pra notar também que é algo que dá pra adaptar a uma história que não tem atmosfera de terror).

É, eu sei o que alguns de vocês estão pensando. "Mas que bichinha! Num consegue nem ver sangue?! É uma bicha mesmo!".
...
...
...
...
...
E depois duvidam que os homens vieram dos macacos. Sim, de fato, eu não curto muito sangue. Claro, tenho minha tolerância. Até mesmo jogo videogames que tem um pouco (ou muito) sangue. Mas existem coisas que eu olho e simplesmente não consigo aguentar. Vi alguns trailers mundo afora, e, poxa... Alguns deles me deixaram enjoado por três dias.
Só por causa disso, não podem dizer que eu sou bicha... Certo, homens que tem pouca confiança em sua masculinidade? (Só se você não pensou nisso que você não tem esse problema, ou pelo menos aparentemente não).

Meu argumento é: terror não precisa de sangue para ser terror!

Bom, vou fechando por aqui, antes que eu viaje demais de novo e mude de assunto... de novo.

Valeu crianças!

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Domingo é assim... 3: O retorno dos que não foram!

É, já tem um tempinho que eu não posto nada no dia de domingo. Bom, pra matar essa saudade, aqui está minha nova parte do domingo é assim. Se bem que não faz muita diferença, é só uma postagem no dia de domingo!

Bom, hoje deve ter sido um dos dias mais perdidos que eu já tive, e eu odeio perder dia. Tem aqueles dias que você pensa em fazer alguma coisa, mas não faz, tem aqueles dias em que você faz alguma coisa (melhores dias da história), e tem aqueles dias que você perde. Foi meu caso hoje. Ora, porque, né? Simples! Fui dormir mais de 1:00 da manhã por causa que eu estava esperando o pessoal daqui de casa chegar (eles tinham ido prum casamento, e eu achei que eles não tinham levado a chave), acordo umas 10:30, almoço às... 11:00 e alguma coisa. Lindo, aí começo minha "rotina", por assim dizer. OK, nada demais até agora, certo? Fazemos uma faxina na casa. Tudo bem. Me deito pra ouvir um pouco de música, umas 16:00. DURMO E ACORDO ÀS 18:20!! Daí, você pode supor o quão irritado eu fiquei. A única coisa ÚTIL que eu consegui fazer foi mandar um detonado visual do terceiro Zelda pro Youtube (visitem o Hyrule Map e vocês entendem).

Agora, mudemos de assunto. Alguém aí se lembra que eu falei, há algum tempo atrás, que eu tenho déficit de atenção? Bom, não sei se contei isso a vocês, mas eu também estou tomando remédio, pra aliviar os sintomas, se é que me entendem. Meio mundo já disse que eu estou mais atento, e que eu estou mais "rápido". Pra mim, continuo na mesma, embora eu deva admitir que esteja MUITO difícil ficar sonhando acordado. Ué, não contei?
A essência de muitas coisas que eu faço, principalmente meus hobbies, como escrever histórias, preparar vídeos, e outras coisas, é formada quando eu fico "viajando". Eu mesmo já pensei em centenas de sequências de ação sonhando acordado enquanto estava ouvindo música. Hoje? Não consigo formular a cena direito, além de sempre voltar para a "realidade" sem ser por conta própria. É como se você estivesse assistindo um filme e alguém tirasse a tomada. Só quero ver essa atenção toda quando voltar às aulas.

Isso me faz lembrar (o que sempre faço quando estou escrevendo um texto aqui). Estava pensando no outro dia (o que eu só faço é pensar, mas pensar profundamente), eu sou o tipo de pessoa que detesta quando alguém me manda fazer alguma coisa. Por exemplo, eu estou, sei lá, lendo um livro, aí me mandam arrumar meu quarto. Um clássico: estou para fazer meu "dever de casa", aí alguém grita: DAVI, VAI FAZER O DEVER DE CASA!!! Pronto... Isso mata em mim qualquer vontade de fazer o dito dever. Isso é exemplo, não tem dever de casa na minha faculdade.
É algo que sempre me seguiu. Eu acredito que não há nada melhor do que fazer as coisas com vontade. É algo do tipo "Eu estou afim de fazer a coisa tal". Dessa forma, eu acredito que as pessoas fazem as coisas de forma muito melhor. Gostaria de puxar esse assunto para as indústrias. Se eu fosse o dono de uma indústria de entretenimento (o que vai acontecer, me aguardem), eu acharia melhor só fazer os filmes que eu estou com vontade de fazer, e não algo que os fãs pedem ou imploram. Claro, se eu estiver disposto a trabalhar no filme que os fãs querem, até melhor. Nada é bem-feito quando feito de mal gosto, ou quando feito sem você se sentir completamente disposto. Pelo menos é algo que eu sinto. Um exemplo disso seria o Shigeru Miyamoto, o cara que criou o Mario.
Tinha lido, já faz muito tempo, que ele afirmou que não era feliz na época do Nintendo GameCube. Apesar de, nos comentários do site, os leitores dizerem que isso era frescura e coisa e tal, eles não perceberam o quão importante era isso. Quando uma pessoa não está feliz ou satisfeito, seu trabalho tende a se desgastar, ou, ao menos, a não ser tão bom quanto antes. A ironia disso é que no Nintendo GameCube, as principais franquias dele haviam tido uma "queda". Claro, ocorrem exceções, mas era óbvio que as coisas poderiam ter sido infinitamente melhores. Isso foi só um exemplo, até porque eu não vou atrás da vida de gente famosa, ou do calibre do Miyamoto (seja lá qual ele for), justamente para fundamentar meu ponto de vista.
Lembro de ter visto em um site, um cara fazendo um comentário, através de uma comparação, que odiaria comer em um restaurante onde os cozinheiros só fizessem o que eles quisessem. Bom, não sei se eu ia querer, mas eu ia ter certeza que o prato que eles estavam com vontade de fazer seria estupendo. Como eu disse, acredito que as pessoas tem melhores resultados quando fazem aquilo que elas amam, do jeito que elas amam.

E, já que hoje é Domingo e eu escrevo os assuntos que eu quiser, chegou a hora de falar da fórmula do sucesso! Faz tempo que eu quero falar sobre isso.
Como vocês sabem, eu estou lendo, sempre que possível, a revista Turma da Mônica Jovem. Até fiz uma análise pre-matura há um tempo. De qualquer forma, em uma das edições, o Cascão queria tirar uma nota alta, porque se ele tirasse uma baixa, ele ia reprovar a matéria com toda a certeza. Daí, a nota seria para a feira de ciências, e ele queria fazer uma maquete sobre vulcões. Ele recebeu dicas de, literalmente, todo mundo (embora ele já tivesse feito, mas teve de fazer de novo para agradar a todo mundo). Ele só não recebeu dica da Marina (os fãs sabem quem é). Daí, no momento final, com a maquete monstro já na escola, a Marina se encontra com ele e eles conversam. Ela então menciona que não sabe qual a fórmula do sucesso, mas sabe qual é a fórmula do fracasso, que seria "tentar agradar todo mundo". Além disso, ela faz a menção a uma pergunta terrível que se passa em todo artista (e pessoas semelhantes), que seria: "E se alguém não gostar?"
Você, que tem um blog, faz vídeos pro Youtube, escreve as fan fics (lembrando que se escreve FÃ em português, e não FAN!) da sua série favorita e talz, com certeza já passou por isso. Eu, por ter um pouco de cada, e me considerar meio artista (só meio... ainda), já passei pela mesma situação! Sério, até parecia que estavam falando comigo! É óbvio que o Cascão se deu bem. Jogou a maquete monstro dele fora e trouxe a que ele tinha planejado e feito bem antes. A maquete, que foi feita para explicar um vulcão extra-terrestre (sem zoeira), era a coisa mais incrível que você já viu! Mas deixemos disso.
Claro, algum crianção aí pode aparecer e dizer:
"MAIS (com i mesmo) DAVI!!! COMO É QUE VOCÊ LEVA EM CONSIDERAÇÃO ISSO, VEIO DE UMA REVISTA PRA CRIANCINHAS E MENININHAS!!"
Bom, pequena criatura abominável. É claro que eu levei em consideração, até porque isso aqui é palavra da criação de um cara que FAZ SUCESSO HÁ MAIS DE QUARENTA ANOS!! Só porque você envelheceu, não quer dizer que as coisas que você gostava quando era criança ficaram ruins. Deixe de ser metido a espertinho e dê mais respeito ao que realmente merece.

Oh! E agora, pra fechar esse papo, porque tá ficando chato, hora de falar de comentários! Esses dias, eu li muitos comentários. Alguns bons, outros ruins, e outros do tipo "eu não deveria ter ligado o computador hoje". Simples assim. Apesar de eu ser contra o politicamente correto em exagero, acho que algumas pessoas estão indo um pouco longe demais. Sabem minha política (que eu ao menos tento seguir), que seria "Respeito acima de tudo". Acho que... ontem, com a morte da Whitney Houston, li um comentário, em um site de notícias, dum cara dando uma bela duma porrada na coitada. Dizendo algo do tipo "JÁ MORREU TARDE!", com Caps Lock e tudo. É aquela de sempre, nunca fui fã, vi que a história dela realmente era um pouco conturbada e talz. Mas dizer que ela morreu tarde? Meio forçado, não? Do tipo, o que foi que ela fez contra ele?
Uma coisa parecida aconteceu aqui, nesse blog mesmo. Justamente na postagem "Metidos a espertinhos", um cara chega e diz que achou o texto muito longo, ficou cansado, e diz que eu sou um blogueiro sem nada a dizer realmente.... Minha reação foi o clássico: "Erm.... tá.". Primeiro, o texto foi longo. Certo, tudo bem, os textos daqui são longos mesmo. Ficou cansado, indicação de que ele, ou ela, não leu o texto todo, o que quebra completamente a parte final, de que eu não tenho nada a dizer realmente.
....
....
Pensando bem, não tenho nada a dizer mesmo não, então, lasque-se!
OK, piadas à parte. Tudo bem você colocar o que você acha e talz. Não, sério mesmo. Mas... me diga, caro comentarista anônimo... Precisava colocar Caps Lock?

E isso me faz pensar, porque será que as pessoas que fazem esses comentários na maioria das vezes ou usa um nickname tosco ou fica como anônimo? Caros comentaristas que ficam por aí enchendo o saco com suas críticas desnecessárias e por vezes violentas, nada construtivas, não precisam se esconder atrás desses nomes. Afinal, ninguém pretende caçar vocês nas suas casas! Tenham coragem e mostrem seus rostos, ou seus nomes no caso.

Bom pessoal e é isso. Falou crianças e até a próxima!

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Meu super desenho, algo sobre mitologia, esqueletos e o GIR!!!

OK, lá vai mais uma daquelas viagens bacanas.

Quem lembra do meu super-desenho? Alguém? Não...? Por que eu falo com vocês mesmo?!

Bom, vamos à parte bacana. Nesse momento, meu super-desenho está com belas 8 páginas. Duas ou três delas estão com alguns pontinhos em assunto de detalhes faltando, mas esses eu vou construir quando finalizar o desenho por completo.
Recentemente eu terminei os pontos essenciais da oitava página. O que eu fiz? SIMPLES!! Adicionei mais... acho que quatro personagens. Como vocês já devem saber, essa aqui seria a página dos Supremos, ou ao menos de alguns deles. Os personagens que adicionei foram, nessa ordem:

DWAYNE - SUPREMO DA MORTE

ADIV - SUPREMA DA VIDA

TALES HART - UM DOS IRMÃOS HART ORIGINAIS

GÊNCIA - SUPREMA DA ORDEM

OK, vamos falar desde o primeiro.

O Dwayne me deu trabalho. É um dos personagens que eu desenhei pela primeira vez. Assim como o Firadiff, eu tinha mencionado ele em uma de minhas anotações no caderno. A diferença é que eu tinha uma base de como eu ia querer o Firadiff, não fazia ideia de como eu ia criar o Dwayne. A primeira coisa que eu fiz foi pesquisar sobre imagens da morte. Sim, aquele esqueleto de capa preta e foice, que roda por aí como o estereótipo. Sei lá, pesquisei, pesquisei, mas não achei nada pra me basear... Aí, eu tive a ideia sem noção de fazer parecido com o Shao Khan. Não sabe quem é?

Shao Khan, chefão final de Mortal Kombat
No caso, a única coisa que eu queria fazer parecido era só colocar essa de uma caveira na frente do rosto, só por fazer mesmo. O problema é que ia ficar muito parecido com o personagem... E fazer um esqueleto de capuz era muito clichê. Então, decidi colocar a caveira de alguma coisa com focinho. Um dragão, um cavalo, uma vaca, SEI LÁ, QUALQUER COUSA!!!
Fiz uma vez, encheu o saco. Fiz duas vezes, fiquei sem paciência. Fiz três vezes, mandei à puta que pariu àquele bairro de Minas Gerais. E pensei, QUER SABER?! VAI CLICHÊ MESMO!!
Calma, eu não desenhei um esqueleto de lençol preto. Nada disso. Só deixei o ROSTO clichê. É, isso mesmo. O resto do corpo eu deixei mais... bom... Musculoso. Justamente tentei fazer uma coisinha bacana, em deixar só a caveira na cara, pra mostrar que é a morte mesmo, só que deixei o corpo com carne e músculos, só pra dar aquele toque que só eu sei fazer...
Pra ser MUITO sincero, o que realmente me fez considerar o rosto com uma caveira foi essa imagem:


Uma das... "pérolas" que eu encontrei quando pesquisei. Sei lá, acho que o estilo macabro dela chamou a minha atenção.
Obviamente, eu precisei desenhar uma arma nas mãos dele, e que arma seria melhor do que a arma mais famosa da morte. Não, não a AK-47... NEM UMA SERRA ELÉTRICA! COISA!
Simplesmente, uma foice. Simplesmente uma foice... O que você esperava? Evitei colocar detalhes nela, foi aquela coisa bem básica mesmo.

Como você acha que foi

Como realmente foi

Bom, a simplicidade não foi porque eu não sou capaz de criar detalhes, nem porque eu só estou querendo terminar antes para colocar os detalhes. Não. Foi de propósito, e eu o fiz porque o estereótipo original da morte não tem uma foice altamente detalhada e blá blá blá... O original é uma foice simples e pronto.

Mas chega de ficar nessa, sim? Vamos mudar logo para a segunda parte. Ou melhor, a segunda personagem. Na verdade, só o Dwayne era o personagem sombrio dessa página, e o realmente complexo.

Adiv, não deu tanto trabalho quanto o Dwayne, mas foi difícil também. A ideia era mostrar Adiv como uma garota jovem, não uma criança, mas também não uma adulta, e sim... Uma adolescente. Além disso, ela tinha que ser bonita, e bonita ela foi. Na verdade, ela ficou tão adorável que eu não precisei adicionar detalhes que eu geralmente adiciono pra que ela realmente pareça 100% de certeza com uma mulher.

Pulemos o Tales por hora.

A última que eu apliquei, ou ao menos pensei, foi Gência. Essa aqui está dentre as "Eu sou fácil de fazer!". E como foi. Até porque, não tive de aplicar nenhuma posição demais, nem adicionar detalhes demais. Claro, ainda está nos rascunhos, mas ela ficou boa, sem ter de colocar nada demais.

Agora sim, ao Tales. Depois do Dwayne, foi um personagem difícil de se fazer por um único motivo: falta de espaço. Senti que, ao desenhar o Tales, eu sofri muito pra deixar ele parecer solto. O problema? Eu tinha desenhado ele bem ao lado da Adiv, e pra fechar, coloquei a Gência do outro lado. Foi complicado, muito complicado. Mas, nos finalmente consegui. Agora, você deve estar pensando: "Mas o Tales e o Xevá não iam aparecer só na última folha?". Sim, iam sim. Só que eu decidi mudar as coisas, até porque decidi mudar as prioridades de lá pra cá.

Bom, pra parar de falar do meu desenho, só quero terminar dizendo que essa página ainda não acabou oficialmente. Vou usar o espaço restante (sim, ainda tem espaço) pra tentar desenhar mais dois personagens.


OK, mudando de assunto, essa vai ser rápida. Não sei bem o que eu tava fazendo, nem o que tava na minha cabeça. Só sei que deu vontade de fazer um livro com a mitologia da saga dos Grandes. Sim, é complicado assim. E, bom, eu já comecei. No caso, escrevi pouco, umas três páginas só, mas tá indo bem.

..... E como eu não tenho mais nada pra falar aqui vai umas imagens do GIR pra vocês.

Gir esperando você chegar...

"Eu te amo desse tanto!"
Gir pensando em como resolver a equação dificílima 2 + 2 = ?
Sem comentários...
Boa noite crianças!!