sábado, 30 de julho de 2011

Outra alteração de nome e um plano quase genial

Bom, pessoal... Resolvi fazer novas alterações aqui no blog. Passei uns dois meses querendo fazer uma alteração aqui, mas preferi deixar a ideia ficar madura primeiro. As mudanças não são lá tão trágicas... Só troquei a imagem de fundo e alterei o nome do cabeçalho, só isso...

Agora, essa mudança chegou em boa hora! Vai marcar a nova fase do meu jeito de mostrar imagens. OK, OK, é só um jeito provisório... Enquanto eu não consigo uma scanner (e acho que não vou conseguir nenhuma a curto ou médio prazo), vou ter que me contentar em tirar fotos das imagens que eu faço. Vai perder parte da qualidade da imagem? Talvez, mas são as ferramentas que tenho (do mesmo jeito que eu sempre fiz, né?).

Um outro ponto é que decidi reabrir "arquivos antigos" justamente para fazer uma imagem poderosa. Sem brincadeira, é a maior imagem que fiz até os dias atuais. Não, sério, ela é grande mesmo. Não faço ideia de qual vai ser o tamanho total. Mas, em questão de altura, já pegou duas folhas e um tiquim de uma terceira. Tava pensando em mandar uma foto da primeira folha, mas acabou não dando, não dessa vez...
Mas, devo admitir, tá sendo legal trabalhar nessa imagem. A ideia básica da imagem é mostrar todos os melhores personagens que eu já fiz. Agora, esses personagens são de uma parte limitada do que eu gosto de chamar de "Universo LDM": a "fatia" desse universo que é representada na imagem é justamente a porção dos "Grandes", ou seja, personagens como Dante/Cavaleiro Verde, Soul, Amanda, Izzuno, e até mesmo o Karl Vinstöffen não vão aparecer, o que diminui, e muito, o número de personagens (lembrando que a parte do Universo LDM composta pelos Fortes é bem grande também, contando com personagens secundários e terciários, embora não tenha a quantidade dos Grandes).
Os personagens que estão na imagem (ou que ainda vão ser colocados nela) vem, principalmente, das quatro principais histórias do universo Os Grandes: Supergências, LWL, As aventuras de Retnuh e Zero. Das quatro histórias: existem mais aparições dos personagens de As aventuras de Retnuh. Não é por caso de preferência, mas sim porque a seleção de personagens importantes na história é bem maior do que nas demais. No caso de LWL, por exemplo, só desenhei alguns personagens: Zukiloa, Zina e os dois Itey's. Até que ficou bem legal, com o Zuki segurando uma bíblia e a Zina cantando (com as duas mãos no peito), enquanto os Itey's tocavam um banjo e um violino (estranho demais?). De qualquer forma, não me faltam planos para essa imagem... Quando digo planos, claro que me refiro à estrutura dela por completo. Até agora, já fiz duas folhas A4 inteiras. Eu ADORARIA falar disso aqui, mas eu vou tentar manter segredo (uma coisa que preciso aprender a fazer). O que posso revelar é que, devido ao grande número de personagens, talvez a imagem só se complete com 5 folhas!! Claro, já fiz uma folha inteira só com personagens, mas os que serão desenhados a seguir são os MAIS fodões que tem! Personagens como Drake Vicina, Harox, e até mesmo os mais importantes, como Anne Bells, Lúcia, Glenn Detros, Lobo, Nil e David Hart ainda não foram desenhados! O plano (parte que posso revelar, pelo menos) é finalizar a imagem com Xevá e Tales no topo, afinal, eles são os personagens mais importantes do Universo LDM!! Por que? Xevá é um tipo de vilão universal, que aparece em todas (LWL não conta aqui), e é o Rei do Caos (razão de todo o mal e desordem no mundo); Tales porque é o criador da família Hart (antecessor supremo de David Hart), se não fosse por ele, nada nessa história aconteceria!
Um ponto mais legal disso tudo foi o ataque de nostalgia que eu tive quando fui atrás dos personagens para me lembrar deles. Nossa, foram tantas lembranças, não só das histórias, mas do que eu vivia na época em que eu fiz cada uma delas. Acho que a história que mais me fez sentir bem foi a do Retnuh. Eu estava RINDO das minhas PRÓPRIAS piadas (me senti um comediante...), como quando Retnuh vê o Netros pela primeira vez e, ao se deparar com a franja dele, ele grita "EMO!!" e derruba sua prancha no pobre coitado. Mas, esse ataque de nostalgia foi importante, de certa forma. Ao me deparar com os desenhos antigos (muitos deles com a "fase oriental LDM"), foi um pouco difícil refazer os personagens em um modo mais real. Os mais complicados foram, sem sombra de dúvida, os personagens do Retnuh. O estilo do Retnuh é feito com base em desenhos infantis e outras coisas (pra cair bem com o humor), mas fazer aqueles personagens ficarem bonzões no estilo à lá Projeto X foi difícil... Acho que os que mais viram alterações foram o Netros e a Sakura. Talvez pra caber bem com o nome da Sakura (mudar nome de personagem cinco anos depois de fazê-lo é complicado), os dois seguiram pra visual oriental (olhos puxados, essas coisas). Mas ficou legal. No entanto, os personagens mais cômicos (como o Nex) não viram tantas alterações assim).
Só posso adiantar que estou ficando muito animado com essa imagem. Comecei a terceira folha hoje, mas essa vai exigir um pouco mais de cuidado e atenção, até porque os desenhos vão ser (bem) maiores, com mais detalhes, identificando sua atmosfera.

Bom galera, é isso aí! Se é que você leu isso, obrigado! Até a próxima!

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Resultado do desafio WHY SO SERIOUS?!?!

Então galera, ontem eu postei aqui um desafio interessante, que eu chamei de "WHY SO SERIOUS?!?!". O desafio seria o seguinte: você é capaz de ficar de bom humor um dia inteiro? Bom, ontem eu coloquei o desafio à prova, e quer saber qual foi o resultado? Ora, claro que não foi algo de extraordinário, mas o dia passou tão bem que foi até estranho!!! Uns efeitos que notei: quando você força o sorriso, e se imagina sorrindo ali sem nenhum motivo, seu sorriso fica verdadeiro na mesma hora, pois você acaba por rir da situação. Outro efeito foi que as pessoas que notam você sorrindo podem acabar por sorrir também. Existem outros efeitos, mas acho que seria mais interessante você descobrir por conta própria.
Ficar de bom humor faz um bem danado à saúde (e depois dizem que o Coringa é louco.). Bom, agora, eu passo o desafio para vocês leitores e todo o resto do mundo... Tente passar 24 horas de bem com a vida, sorrindo!

domingo, 24 de julho de 2011

Um desafio: WHY SO SERIOUS?!?!

Heath Ledger como Coringa em O Cavaleiro das Trevas
O Coringa talvez seja o vilão mais conhecido do herói Batman. Todos sabem quem ele é e conhecem sua filosofia: "Matar de rir é o melhor remédio". Decidi iniciar uma pequena campanha pessoal: ficar sorrindo o dia inteiro, e rir sempre que possível. Comecei há pouco menos de duas horas, e o resultado até agora foi satisfatório. Em uma pequena briga com meu irmão (não verbal, mas física), por estar sorrindo o tempo inteiro, não pude deixar de rir das situações (não só eu, ele também riu) (mesmo quando ele fazia uma chave de braço em mim). Com isso, eu passo esse desafio: você é capaz de ficar de bom humor o dia inteiro, sem nenhum motivo? Não é preciso ficar sorrindo o tempo todo, mas ficar sorridente vez ou outra é legal. Você é capaz disso? Vou continuar o desafio comigo mesmo e, amanhã, conto o resultado. E é isso aí galera! Curtam o desafio!!

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Opinião pre-matura de Turma da Mônica Jovem

Muitos dizem que as coisas de entretenimento do Brasil são coisas ruins, que debatem sempre o mesmo tema: violência, drogas, favelas, corrupção e por aí vai. Até mesmo a melhor franquia de filmes nacionais, o infame Tropa de Elite, tem esses temas como base! O problema é que, quando alguém me faz perguntas a respeito, tenho de concordar tristemente com esses tópicos que acabei de citar...
Na verdade, muito da "cultura" brasileira é como parte da letra de Fuckin' Perfect da cantora P!nk:
Mistreated / Misplaced, Misunderstood
E o pior que é verdade... Aqueles responsáveis pelo entretenimento daqui (leia-se cinema) não estão fazendo um bom trabalho, nos jogando com toneladas de coisas que vimos e vemos todos os dias...
Só que, existe uma luz no fim do túnel: o brasileiro (no geral, mesmo) sabe fazer comédia. É o único ponto que TODOS nós, brasileiros, sabemos fazer!
Bem, eu enrolei, enrolei, mas foi pra chegar nesse ponto: apesar de não parecer, muita gente está tentando fazer o que pode, seja com tirinhas, seriados (muitos são bons!), alguns filmes, vários livros, pinturas, quadros e HQ's.
No caso das HQ's brasileiras, acho que o maior (e melhor) destaque que temos é o trabalho de Maurício de Sousa e sua maravilhosa Turma da Mônica. É uma delícia ler os gibis da turma. As aventuras da Mônica, os planos do Cebolinha, as trapalhadas do Cascão, os lanches da Magali, sem falar dos diversos outros personagens dentro e fora da turma! A HQ não é só um sucesso nacional não! É tão bom que está aí, mundo afora, com muito sucesso, muito bem, obrigado!
Em anos recentes, nosso caro Maurício (leia-se salvador da cultura pop brasileira) passou por um dilema quando viu seu filho tendo dificuldade para escolher entre o gibi da turma e um mangá de Naruto. Foi a partir daí que um mangá para a Turma da Mônica começou a parecer uma ÓTIMA ideia. Depois de um tempo, veríamos Turma da Mônica Jovem aparecendo nas bancas. A transformação de HQ pra Mangá foi uma bela duma surpresa! Claro, o gibi da Turma da Mônica continua sendo escrito e circulando por aí! O mangá foi feito para ser mais uma parte da turma (e um ótimo golpe de merchandising). Essa nova fase tem como público aqueles que tem a vontade de ver como ficariam as aventuras da Turma depois que eles atingissem a adolescência (e também aqueles que leem o gibi original e tem vergonha de serem vistos assim, que, espero eu, são poucos...). Admito que, a princípio, achei meio estranho. Mas, depois de ruminar a ideia, acabei por aceitar feliz.
Não cheguei a ver muitas edições, na verdade, tudo o que vi foram três edições: #00, #01 e #02. Por isso, o nome Opinião Pre-matura no título da postagem! Mas, aqui vai o que consegui notar. Por ser fruto de Maurício de Sousa, espera-se uma lição de moral por trás das histórias, tanto para as crianças quanto para os adolescentes e adultos. A primeira coisa que o gibi (desculpe, força do hábito) mangá trata é a união com família e amigos. O bom é que não foi como aquelas mensagens exageradas que a gente costuma ver na TV ou nos filmes, foi bem discreto, mas chamativo e forte. Ponto pra eles!
Uma outra preocupação minha foi a orientalização da Turma da Mônica. Graças à Deus (e ao Maurício) isso não aconteceu. Ainda notei traços muito bem brasileiros na trama, além da força que as personalidades de cada personagem possuem. Claro, por ser um Mangá, a história é bem viajada, mas ainda é interessante.
Outro ponto que gostaria de apontar é que, apesar de terem crescido, Mônica, Cebolinha, Magali e Cascão continuam os mesmos, só que com pitadas mais de adolescente, claro. Existem diferenças aqui e ali, mas os personagens que amamos e com os quais crescemos ainda estão aqui! Vou evitar me aprofundar mais, até porque praticamente conhecemos tudo sobre eles!
Eis um outro ponto: o bom-humor é inegável, especialmente quando quem vai falar é o Cascão. E não estou falando de um bom-humor bobo e sem graça, estou falando de piadas boas (que fazem sentido), fáceis de entender, contextualizadas e divertidas que, no mínimo, vão deixar um sorriso em seu rosto.
Pra fechar, creio que posso falar do roteiro como um todo. Até agora, não vi nenhum problema. Tudo indo muito bem, do jeito que se espera da MSP (Maurício de Sousa Produções). Divertido, com suas mensagens e contextualizações. O roteiro é impecável, e está seguindo um ótimo caminho, deixando você vidrado na história. É tanto que, quando se chega na última página da edição você fica como "Já?! M-m-mas eles iam detonar aquilo ali!". E acredite, são cerca de 100 páginas por edição, e elas passam muito depressa.

É chato ter que me manter com o que escrevi aqui. Mas eu ainda preciso ver o resto da revista pra conseguir ter uma opinião mais forte e sólida! Mas, pelo que eu li, se trata de mais um excelente trabalho do Maurício de Sousa, com boas aplicações, tanto na história, quanto no estilo em si. Até agora, Turma da Mônica Jovem está sendo um tremendo sucesso e, pelo menos eu espero, que se mantenha assim... Essa eu recomendo com certeza!!

Lorenzo World Legends: roteiro mais maduro, mais forte e mais censurável

Lorenzo World Legends (ou LWL) é o nome de minha saga fictícia e fantasiosa baseada no período da Idade Média. Para essa história, tive várias inspirações, sendo as mais importantes: The Legend of Zelda (série de videogame, criada por Shigeru Miyamoto) e O Senhor dos Anéis (livro épico, e filme épico, criado por J.K. Tolkien).

Na verdade, LWL é uma recriação de uma história que criei em 2005, entitulada de "Lorenzo".  Essa história era um tipo de seriado com vários títulos, sendo estes World, Duk, Kimon, Black, Sand, Diamond entre outros que não consigo lembrar agora... Cada título contava com um protagonista, e todos aconteciam no reino místico de Lorenzo. No entanto, depois de vê-los com meu olhar de 17 anos (quase 18!!), percebi a sua imensa imaturidade e, de certa forma, infantilidade exagerada.
Nada contra os gêneros infantis, mas o meu estilo de história simplesmente difere muito do infantil (retire Retnuh da lista, sim?)...
LWL é, para ser mais específico, uma recontagem dos eventos de Lorenzo WORLD. Uma guerra entre os dragões e os humanos, ambos com bons motivos para guerrear. Só que, para LWL, eu não escolhi ficar com os protagonistas da versão "original" (Nil, Cammally, Saunno, Swert e Cap). Depois de um breve pensamento, decidi que alguns dos personagens da primeira parte da saga: World, Duk, Kimon e Black, deveriam dar as caras. Acabou ficando com os protagonistas do World (Nil, Cammally, Saunno e Swert), um do Duk (Lobo) e um do Kimon (Zukiloa). Passei um tempo me perguntando se a protagonista do Black deveria dar as caras. Só que, eu teria de decidir entre ela (Amy, se não me falha a memória) e Saunno, devido ao limite imaginário de seis personagens. Acabei optando pelo Saunno, não só por ele ter um lugar de direito na história, mas também porque seria muito complicado adicionar a Amy no contexto de LWL (não que eu não tivesse planos para ela).
Agora, aqui vai um aviso sobre o LWL. Diferente do Lorenzo World, LWL é bem mais "adulto". Não tô falando só da presença de sangue, até porque ela é bem artificial, aparece vez ou outra. O ponto é o seguinte: eu estou em uma busca para fazer uma história que está mais de acordo com a realidade em questão de sentimentos, sensações e pensamentos. Tradução: personagem mais humano é importante. Em LWL, estou procurando manter personagens com desejos, aflições e aspirações. Os melhores casos são o da Princesa Cammally que fica procurando pelo seu pai (o rei) que desapareceu, enquanto está morrendo de preocupação; também temos o caso do Saunno que, depois que conhece a Cammally, fica doidinho pra dar uns amassos, mas não pode. Na verdade, pensando aqui, todos os personagens tem conflitos internos que precisam ser resolvidos. Beeem diferente do Lorenzo World, onde todo mundo tinha um destino e ia com o maior prazer: "Ah! É pra lutar até a morte?! Beleza! Vamuh lá, galera! Detonar geral!".
Agora, outro ponto que já comecei a treinar (tanto no papel quanto no psicológico) é a nudez... Sim, tem nudez. Agora, a ideia não é fazer o famoso sex appeal, ou fazer exploração sexual, que é isso! A ideia é a mesma na qual fiz base: deixar as coisas mais próximas à realidade. Sem falar que vivemos num mundo onde tudo tem um fundo criminoso. Não estou me referindo só aos "bullying" de mentira que todo mundo tá inventando hoje, mas também a algo do tipo: "Nudez?! Então é pornografia! Putaria! Coloca o aviso!!". No caso, ênfase nessa última frase. Não vou negar: cenas de sexo estão planejadas SIM! Mas não chega a ser pornografia... Até porque o intuito não é fazer as pessoas fazerem... vocês sabem o que... Todas as ditas cenas estão contextualizadas, e servem para aumentar a realidade na história. Além disso, teve um clipe da banda 30 Seconds to Mars, o Hurricane, que conta um pesadelo do compositor (Jared Leto), em que ele, e os outros integrantes da banda, são perseguidos por uma organização criminosa, ou algo assim. No caso do Jared, é porque ele tinha feito uma relação sexual com uma mulher aí. O que eu achei interessante é que essa relação aparece, vez ou outra, no que parece ser uma seção de sadomasoquismo (eu acho isso MUITO estranho, sério...). O clipe em si é maravilhoso, 13min de clipe, e, além de focar na "putaria", focou no resto da história: a perseguição, a descoberta e a revolta, ou algo assim. Isso é puramente arte, pessoal! E outra, diferente dos Hentai's (absurdos, diga-se de passagem), não estou lidando com nenhuma criança nas histórias (nem vocês leitores, espero). Todos os personagens que estão lá já são maiores de idade, tem seus anseios e conhecem a face do mundo. Claro, pra ter realidade, vai ter tabu nas conversas sobre o assunto com as mulheres da história (mulher na idade média não podia conversar sobre isso, só com o marido se não me engano).

O enredo de LWL segue a mesma base do Lorenzo World, só que eu deixei um pouco melhor. Aumentei o tom de seriedade e ocidentalizei. Os personagens que já desenhei foram Nil, Trewsy, Lobo, Cammaly, Saunno, Rock R. Croc, Swert, Trews, Cap, dentre outros. A história ainda está em seus primórdios, mas está indo bem e, até agora, não fiz nenhum ponto no qual creio que vou me arrepender no futuro. O melhor: estou fazendo tudo à minha maneira, sem exagerar nas inspirações e perder o foco. Cada personagem evoluiu bem. Mesmo o começo (que não ficou muito bom) está sendo bem aproveitado. Só vou dar uns ajustes ali e aqui... Ainda estou na parte em que Nil encontra Saunno e eles partem para procurar Zira (potencial futura esposa de Nil, mas amiga ainda). Já teve uma cena de nudez, OK, nem tanto. É só a Cammally, mortalmente ferida, com vários cortes, um deles fatal, no tórax. Os soldados de lá tiveram que tirar a blusa dela para tratar dos ferimentos. Tive que tomar cuidado com a desenvoltura dos seios, pra que não ficassem... feios. Deu um bom trabalho, eu acho. Aproveitei e coloquei todos os ferimentos que pude, pra justificar a linha "Deus! É muito sangue! Ela está muito ferida..." de um dos soldados, enquanto espera um médico.
Um ponto final: é ficção, então aproveitei para fantasiar um pouco: tipo dragões que se tornam em seres humanos... Soube que o contrário acontece em um rpg de videogame aí (acho que é o Breath of Fire). Bom, assim que eu conseguir uma scanner, eu mando uma imagem da "revista", que, assim que eu terminar o SOUL, vira livro.
Estou aproveitando as músicas do This Is War pra poder conseguir idéias próprias. Além das letras, os ritmos daquele álbum são muito legais. Ajuda mesmo, sério!
Já tá tarde e eu tenho que dormir. Amanhã vou tentar continuar o LWL. E outra: passei em Antropologia! YES! Uma cadeira a menos! Agora é só me matar de estudar pra passar em Sociologia, Estudos Históricos e Geografia!
Valeu povo, e até mais!!

domingo, 10 de julho de 2011

LWL - Personagens 3

- Cammaly Lorenzo I -
Uma dos seis protagonistas da série. Cammaly (ou simplesmente Cammy) é a princesa do reino de Lorenzo. Apesar de ter crescido sendo realeza, ela foi treinada nas mais diversas artes marciais e manuseio de armas. Ela, apesar de ser uma mulher determinada e forte, também é uma princesa meiga, feliz e, muitas vezes, um tanto despreocupado com os demais problemas do mundo. No entanto, seu pai, o rei Lorenzo, desapareceu misteriosamente e, durante esse período, Cammaly perdeu o trono para Swert. Ela, então, foi aprisionada...

- Saunno -
O sexto protagonista, mas não o menos importante. Saunno nasceu em uma cidade rica, mas no lado pobre. Órfão ainda criança, teve de se virar para viver, desde fazer pequenos furtos até improvisar uma casa em dias de chuva. Foi ainda criança que ele aprendeu, sozinho, a lidar com o Arco e Flecha. Quando cresceu, Saunno tornou-se um caçador de recompensas famoso. No entanto, ele não se comporta como um homem elegante. Ele é rude e faz muitas piadas machistas. Porém, Saunno não pode ver uma mulher que considere bonita, que ele faz certos toques "inapropriados".

sábado, 9 de julho de 2011

Turma da Mônica e cia. nos video-games!!

Acho que isso nunca passou pela cabeça de ninguém... Mas parece que o Maurício de Sousa, autor da famosa Turma da Mônica está considerando lançar video-games pra turminha.
Não sei dizer quando foi que ele teve a idéia, mas parece que foi depois de comparecer à E3 (maior feira de video-games do mundo) deste ano.
O negócio é que, além de jogos para celulares e redes sociais (coisas que, se formos comparar com os videogames ditos "de mesa", são fáceis de se fazer), o bom Maurício planeja lançar um jogo para PlayStation 3, Xbox 360 e Nintendo Wii!
No entanto, não é a primeira vez que as criações do Maurício aparecem nos videogames... A primeira vez foi, se não me engano, no começo da década de 90, com um cartucho para o Master System e para o Mega Drive, consoles da SEGA. E mais, foi lançado um jogo "Turma da Mônica - Vamos Brincar No.1" lançado para o Zeebo!
O negócio é que eles querem alçar voos bem altos! Por exemplo, temos o dito jogo do Astronauta que será lançado para o PS3, Xbox360 e Wii.


Nada contra Maurício de Sousa! Na verdade, sou um grande fã das criações dele e sempre que vejo uma revista dele, fico doidinho para ler! Sem falar que, apesar de ter estranhado no começo, acabei por ficar interessado em ler o Turma da Mônica Jovem. Estou torcendo pra essa empreitada do Maurício dar certo.  Só acho que ele pode achar um pouco difícil conseguir entrar nesse mercado com sucesso nas mãos. Mas, se ele (e a equipe, obviamente) entrar nessa com calma, cuidado e dedicação. Acho que eles vão se dar bem. Vamos ver no que é que dá, né?