segunda-feira, 25 de abril de 2011

Enrolados - Resenha

Pessoalmente, fazia tempo que eu não assistia uma animação da Disney. Agora, a última animação feita pela Disney (no caso, sem a Pixar do lado), Enrolados (2010), me chamou atenção.

O filme é um tipo de recontagem do clássico conto-de-fadas Rapunzel. Muito da história original ainda existe no filme: a protagonista Rapunzel, presa em uma torre por uma mulher malvada. No entanto, o filme Enrolados não conta tudo do mesmo jeito, deixando a história com alguns pontos um pouco mais modernos e outros mais... infantis, digamos assim. No caso, Rapunzel é a "Princesa Perdida" de um reino, que acabou sendo sequestrada por uma mulher (chamada no filme como Mãe Gothel) por causa do poder rejuvenescedor de seus cabelos. Rapunzel, então, achando que Mãe Gothel é sua mãe, cresceu presa em uma torre, sob a desculpa que, se ela saísse, seria atacada por causa de seus cabelos.
No entanto, tristes pela perda de sua filha, o rei e a rainha do reino, juntos de todos os habitantes, mandam milhares de lanternas voadoras ao céu no dia do aniversário de sua filha perdida. Rapunzel nota isso e, prestes a completar 18 anos, pede à mãe que a leve para ver as lanternas. Mãe Gothel, claro, nega, usando a mesma desculpa que usou para manter Rapunzel na torre.
Para sorte de Rapunzel, quando sua mãe sai de casa (ou, de torre), um ladrão chamado Flynn Rider corria por sua vida dos soldados do reino. Vendo a torre de Rapunzel, ele entra para se esconder brevemente, onde conhece Rapunzel, de uma forma... dolorosa, digamos assim. Ela o convence a levá-la para ver as Lanternas Flutuantes e, assim, começa o desenrolar da história.

Apesar de ter como base uma história romântica, Enrolados consegue proporcionar boas risadas ao público, por se tratar mais de uma comédia romântica do que de um romance propriamente dito.
E outra, a rebelde Rapunzel (em contraste com a história original) consegue fazer com seu cabelo coisas que, segundo a Física, seriam impossíveis, e podendo até gerar situações incrivelmente divertidas. Claro, existem momentos em que o cabelo dela, por seu tamanho exagerado (aproximadamente 21 metros) a fazem passar por verdadeiras roubadas, embora ele ainda a salve, vez ou outra. Flynn Rider, por sua vez, não é exatamente o Príncipe Encantado típico de histórias de princesas, mas consegue ser um fora-da-lei incrivelmente divertido, com ótimas saídas em suas falas.
Alguns personagens, como Pascoal, o camaleão de estimação de Rapunzel, não fala, mas tem expressões faciais geniais, dando uma personalidade incrível ao personagem. Ele, sozinho, já arranca bons risos seus.
Nisso, o roteiro do filme é espetacular, se mostrando forte e praticamente sem erros. A idéia dessa produção veio justamente do mentor de Toy Story, ou seja, dá pra imaginar como ficou.

Agora, por ser uma animação da Disney, se espera que Enrolados tenha, pelo menos, uma música boa. Acreditem, as canções são belíssimas, especialmente para quem é fã da Mandy Moore, a mesma responsável pela voz da protagonista. As canções são encantadoras, com foco em When Will My Life Begin e I See The Light.
Outra parte linda em questão musical seriam as músicas instrumentais do filme, todas originais. Elas proporcionam uma ótima sensação, são agradáveis e, de quebra, são muito vivas. Um destaque pessoal seria Kingdom Dance, que você pode curtir no vídeo abaixo:



O compositor de todas as canções, pra quem tá interessado, seria Alan Menken, o mesmo responsável pela trilha sonora dos clássicos Aladdin e A Pequena Sereia, ambos da Disney.

O filme inteiro está em harmonia consigo mesmo, com cada cena passando naturalmente, como se fossem batimentos cardíacos.

Eis que a Disney se mostra forte nessa 50a animação. O filme pode não ter sido indicado para o Oscar, mas, pelo menos, é uma belíssima recontagem do clássico dos Irmãos Grimm.

Muito recomendado

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Um novo clipe chegando

A espera finalmente acabou! Estou produzindo um novo vídeo-clipe, dessa vez com uma música do Michael Jackson! A música seria "In The Closet", dessa vez eu vou utilizar dois personagens meus: David Hart e Anne Bells, em sua essência mais pura, no caso, uma cena de Supergências! Veja abaixo uma imagem:


Não tenho previsão pra esse lançamento, como sempre... Fiquem no aguardo!